Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

sábado, 31 de outubro de 2015

Lemos Carlos Drummond de Andrade no Dia D



Viva o poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade! Leiamos Drummond, ouçamos Drumond neste dia 31 de outubro, Dia D. Ele nasceu a 31 de outubro de 1902 en Itabira, no estado de Minas Gerais e morreu no Rio de Janeiro em 1987.





POEMA DA NECESSIDADE

É preciso casar João,
é preciso suportar Antônio,
é preciso odiar Melquíades,
é preciso substituir nós todos.

É preciso salvar o país,
é preciso crer em Deus,
é preciso pagar as dívidas,
é preciso comprar um rádio,
é preciso esquecer fulana.

É preciso estudar volapuque,
é preciso estar sempre bêbedo,
é preciso ler Baudelaire,
é preciso colher as flores
de que rezam velhos autores.

É preciso viver com os homens,
é preciso não assassiná-los,
é preciso ter mãos pálidas
e anunciar o FIM DO MUNDO.
 
Carlos Drummond de Andrade 





(Releitura do "Poema da Necessidade" de Carlos Drummond de Andrade, do livro Sentimento do Mundo, feito por um dos grupos do 3º EM do Liceu Santa Cruz para o projeto do Portal Educacional - Livros, câmera, ação)



quinta-feira, 29 de outubro de 2015

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Hipocrisia online (Pedro Leite)



Há muita gente assim, em toda a parte. Se calhar conhecem alguém que age assim... 

Gosto muito das histórias de Pedro Leite.




segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Sever do Vouga

O Distrito de Aveiro no mapa de Portugal


Sever do Vouga é uma vila portuguesa, situada na região Centro, concretamente na Região de Aveiro, com cerca de 2 700 habitantes. (Wikipédia)

 Brasão de Sever do Vouga






 Se alguém tiver qualquer dúvida, pode ficar esclarecido: o Vouga é um rio:

"O rio Vouga é um rio do centro de Portugal, que nasce a 930 metros de altitude, na serra da Lapa, mais concretamente no chamado Chafariz da Lapa (...)

No seu percurso banha diversas localidades, algumas das quais têm o seu nome intimamente ligado ao rio, como se verifica nos topónimos, Pessegueiro do Vouga, Sernada do Vouga, Sever do Vouga, Macinhata do Vouga e Vouga.(...)"

(Wikipédia)








Vamos ver um excerto deste filme promocional sobre o património cultural/turístico, natural/ambiental e arquitetónico do concelho de Sever do Vouga.





Dia histórico para o surf português em Peniche

Mick Fanning não vai repetir o título conquistado no último ano em Peniche
(Fotografia: AFP/Patrícia de Melo Moreira - Arquivo)

Dia histórico para o surf português em Peniche

PÚBLICO - 25/10/2015


Frederico Morais e Vasco Ribeiro eliminaram Mick Fanning e Adriano de Souza, os números um e dois do mundo

Os surfistas portugueses Frederico Morais e Vasco Ribeiro fizeram neste domingo história em Peniche ao eliminarem, respectivamente, o australiano Mick Fanning e o brasileiro Adriano de Souza, números um e dois do ranking mundial, no Moche Rip Curl Pro Portugal, a etapa portuguesa do circuito mundial de surf.

Depois de, em 2013, ter feito história em Peniche ao vencer o 11 vezes campeão do mundo Kelly Slater, Frederico Morais voltou hoje a surpreender tudo e todos ao eliminar o principal candidato ao título deste ano. “Kikas” apurou-se para a quarta ronda da prova — algo nunca conseguido por um português, ao conseguir 16,03 pontos (9,13 e 6,90), melhor do que os 14,40 pontos do australiano Mick Fanning (8,40 e 6,00).

Com as centenas de pessoas na praia a aplaudir a vitória do português, Mick Fanning abraçou “Kikas” ainda na água, a felicitá-lo pela vitória.


A notícia completa no diário Público

Uma loja e uma tenda






Sobremesas



Para quem ainda se esquece desta palavra, temos aqui esta boa ementa de sobremesas.




Ementas e cartas



 No restaurante não pedimos carta nenhuma, mas a ementa. Reparem. Uma carta é um "escrito fechado que se dirige a alguém".


E por falar em cartas, quem de vocês escreveu uma carta alguma vez?









Gelado, mas GELATARIA



Pois é, gelado, e compramos esses gelados numa gelataria. Influênia da língua italiana e da fama dos gelati italiani.







domingo, 25 de outubro de 2015

O piloto português Miguel Oliveira vence Grande Prémio da Malásia em Moto3

Fotografia: AFP/Mohd Rasfan



Miguel Oliveira vence Grande Prémio da Malásia em Moto3

LUSA 25/10/2015 - 07:00
Português soma a quinta vitória da temporada e está agora a apenas 24 pontos do líder do Mundial.

O português Miguel Oliveira (KTM) venceu neste domingo a corrida de Moto3 do Grande Prémio da Malásia, 17.ª prova do Mundial de velocidade.

O piloto de Almada terminou a corrida em 40.33,277 minutos, à frente do sul-africano Brad Binder (KTM) e do espanhol Jorge Navarro (Honda), que ficou em terceiro.

Miguel Oliveira partiu da terceira posição da grelha, depois de ter sido também o terceiro mais rápido nos treinos livres.

Com o triunfo na corrida do Grande Prémio da Malásia, a penúltima prova do Mundial de velocidade, o piloto português, de 20 anos, manteve-se no segundo lugar da classificação, estando a 24 pontos do britânico Danny Kent (Honda), actual líder do campeonato.

Único português que já conseguiu subir ao pódio no Campeonato do Mundo de motociclismo de velocidade, Miguel Oliveira somou hoje a quinta vitória na actual temporada, depois das conquistas em Itália, Holanda, Espanha (Grande Prémio de Aragão) e Austrália.

No próximo ano, Miguel Oliveira será promovido à categoria de Moto2, escalão intermédio, ao serviço da Leopard Racing.


É uma notícia do diário Público (25-10-2015)



quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Ler torna a vida mais fácil



Não sei se algum dos alunos se lembra deste quadrinho do blogue Olá! Como estás? Não faz mal. Lemos, aprendemos duas palavras (alguns já conhecem, claro) e sorrimos um bocado, e até podemos pensar um bocado, vejam lá!


Puxar é o contrário de empurrar. Dá para perceber, não dá? Fiquem com estas palavras, são úteis. O Garfield sabe ler, mas o amigo dele parece que não aprendeu.

É claro que ler bons livros, boas bandas desenhadas, etc. faz com que a nossa vida seja, não sei se mais fácil, mas, pelo menos, mais rica, divertida e completa. Sabe melhor se for por prazer, claro.



quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Dois diálogos de A Livreira Anarquista



A Livreira Anarquista é o pseudónimo de uma jovem que trabalhava, bem, suponho que ainda continua a trabalhar, numa livraria portuguesa, lisboeta se não me engano. Acontece que, por vezes, os fregueses ou clientes dessa livraria, pediam umas coisas muito esquisitas, percebem? Ela não inventa,  põe preto no branco o que essas pessoas pediam . Isso acontece em toda a parte, podem crer.

E ainda há mais histórias dela para lermos aqui!


Diálogos Surreais

Freguês: Quero um livro para uma rapariga de 17 anos que por sua vez é minha filha.

Livreira Anarquista (abalada mas a disfarçar bem): E o que é que ela gosta de ler?

Freguês: Nada. Ela não gosta de ler.

*************************

Dia de trabalho diria quase a decorrer dentro da normalidade, quando uma senhora, também aparentemente normal, entra na livraria que, só para quem não está a visualizar bem a coisa, está recheada de livros, livros e apenas livros. De um modo muito óbvio.

Freguesa: Quero uma máquina fotográfica, tem?

Livreira Anarquista: Não. Aqui só vendemos mesmo livros. Mas a loja piiiii, no primeiro andar, vende máquinas fotográficas.

Freguesa: (muito descontraidamente) Humm…mas e quanto é que custam mais ou menos? Eu só quero uma máquina normal, está a ver, nada de muito complicado nem com muitos botões…




terça-feira, 20 de outubro de 2015

O que quer dizer "dolce far niente"?



Uma das perguntas do livro que os alunos tinham de fazer ontem na sala de aula aos colegas era esta: "Gostas de não fazer nada?". Era clara a resposta a resposta para todos.

O professor aproveitou para ensinar uma expressão italiana que é frequente usar em ocasiões como estas. Toda a gente gosta de ter momentos destes alguma vez: "il dolce far niente". É costume dizê-lo assim, em italiano:

Vejamos o que nos diz o dicionário Priberam desta expressão italiana:

dolce far niente (palavra italiana que significa "agradável ociosidade")
locução

Locução italiana que exprime o ideal dos preguiçosos.


Por vezes, diz-se em portuguès também simplesmente "far niente": "Simplificação do italiano «dolce far niente», «doce ociosidade» (Dicionário Prático da Língua Portuguesa Melhoramentos), como lemos no Ciberdúvidas.



Postal italiano de 1901: "Napoli. Dolce far niente"




segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Manhã e manha

 
  Um ã bem grandezinho com o seu til

Se não escrevemos o til nasal da palavra manhã, fica uma palavra muito, muito diferente. Vejam bem.

O que significa essa palavra, manha? Diz o dicionário Priberam:

1. Artes de conseguir o que se deseja, sem trabalho, ou enganando.
2. Finura, astúcia.
3. Destreza dolosa.
4. Balda, defeito.
5. Segredo.

Estão a ver? Bem diferente de escrever, por exemplo, a frase correta: "Hoje está uma bonita manhã."



sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Escreve-me! (Florbela Espanca)



Florbela Espanca foi uma poetisa (há quem prefira dizer "poeta" também às mulheres) portuguesa, que nasceu a 8 de dezembro de 1894 e morreu a 8 de dezembro de 1930. "A sua vida, de apenas trinta e seis anos, foi plena, embora tumultuosa, inquieta e cheia de sofrimentos íntimos que a autora soube transformar em poesia da mais alta qualidade" lemos na Wikipédia.

Recita uma jovem brasileira, com muito sentimiento, mas, é pena, muito baixinho...


Escreve-me! Ainda que seja só
Uma palavra, uma palavra apenas,
Suave como o teu nome e casta
Como um perfume casto d'açucenas!

Escreve-me! Há tanto, há tanto tempo
Que te não vejo, amor! Meu coração
Morreu já, e no mundo aos pobres mortos
Ninguém nega uma frase d'oração!

"Amo-te!"Cinco letras pequeninas,
Folhas leves e tenras de boninas,
Um poema d'amor e felicidade!

Não queres mandar-me esta palavra apenas?
Olha, manda então... brandas... serenas...
Cinco pétalas roxas de saudade...

Florbela Espanca 



Saudades


terça-feira, 13 de outubro de 2015

Uma quadra de desafio

Um boi na serra (Fotografia de Miguel Pinto)



Uma quadra de desafio brasileira, anónima, é claro:

Lá em cima daquela serra,
passa boi, passa boiada,
passa gente ruim e boa,
passa minha namorada.


O que é uma quadra de desafio? Uma das definiçoes de desafio é "situação em que os cantadores respondem um ao outro, improvisando." E cantar ao desafio é cantar à desgarrada. É complicado? Vamos ver:

A desgarrada é uma cantiga popular em que os cantadores vão improvisando, desafiando e respondendo um ao outro, normalmente ao som de concertina. Para além de "Desgarradas", também recebem denominações de Cantares ao Desafio, Cantigas ao Desafio, Cantigas à Desgarrada, etc.



sábado, 10 de outubro de 2015

Uma bebida de marca "Suja"?




When foreign language forever ruins your perception of products named in your first language. (Suja is Portuguese for dirty…and this is juice)


Pois é, quem compraria em Portugal ou no Brasil um sumo com essa marca, por muito saudável que seja?




 (Fonte: Watch your language)



sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Que "pasta" é que o Sérgio comeu no outro dia?



Isto tudo são pastas, tirando a última fotografia: um belo prato de massa, que seria o que o Sérgio almoçou, mas enganou-se e usou a palavra espanhola "pasta"







Isto é que é massa: esparguete com molho de tomate. São servidos?





quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Viver sem dúvidas... (Orlando Pedroso)



Há quem não queira viver sem algumas dúvidas... Estar certo de tudo? Que horror!

Clarissa Corrêa, por sua vez, escreveu o seguinte: "Viver é não ter certeza de nada. Mas estar certo de tudo. Tudo que se quer. Tudo que se sonha. Tudo que se deve fazer. Tudo que se pode fazer. "


Orlando Pedroso é um habitual do nosso blogue.





Uma história de Felipe Portugal




quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Onde é que isso vai dar?





Eu acho que não vai dar a parte nenhuma...

Cuidado: MAS e MAIS



Já vimos este poste no 2º ano, não foi? Não faz mal voltar a revê-lo. Ainda há quem faça confusão com estas duas palavras.


Reparem!

mas (conjunção)

Gostava de ir ao cinema hoje à tarde, mas não posso.

Ele diz que faz isso, mas depois não faz.


* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

mais (advérbio)

Esta maçã está ótima. Posso comer mais uma?

Deves estudar mais, João.





terça-feira, 6 de outubro de 2015

30 de setembro - Dia Internacional do Tradutor



Já passou o dia 30 de setembro, mas foi há muito pouco, apenas na semana passada. É por isto que vos deixo aqui esta mensagem.

E para ilustrar, pode servir-nos um breve texto, uns versos do grande poeta alemão Bertolt Brecht (1898 - 1956). Se não sabemos alemão, lemos na tradução portuguesa, por exemplo:

Isto foi o que Brecht escreveu em tempos muito difíceis do século XX:

Ich, der Überlebende

Ich weiß natürlich: einzig durch Glück
Habe ich so viele Freunde überlebt. Aber heute Nacht im Traum
Hörte ich diese Freunde von mir sagen: »Die Stärkeren überleben«
Und ich haßte mich.


E lemos em português, na traduçao de Modesto Carone Netto:

Eu, o sobrevivente

Certamente sei: só por sorte
Sobrevivi a tantos amigos. Mas hoje à noite, em sonho,
Ouvi estes amigos dizerem de mim: "Os mais fortes sobrevivem."
E odiei-me.





Gosto/ Não gosto



Num blogue intitulado A Gata Christie (alguém compreende o trocadilho no nome do blogue?), achei uma lista de Gosto/ Não gosto.Como era um bocado comprida, fiz um resumo para vos ajudar a fazer a vossa lista. Acho que a autora não se importará.

Vamos lá começar!


Gosto de palavras. De as ler. E de as escrever.

Gosto de ir ao cinema sozinha.

Gosto de dançar. Gosto de ver dançar.

Gosto de comer.

Gosto de feijoada, de todas as maneiras de feijoada.

Gosto de chocolate, de todas as maneiras de chocolate.

Gosto de conversar.

Gosto do Natal.

Gosto de estudar.

A sério, não é piada. Gosto de aprender.

Gosto de ir às aulas (algumas).

Gosto de bibliotecas.

Gosto de passear.

Gosto do sol no inverno.

Gosto de praias desertas.

Gosto de esplanadas.

Gosto de ficar sentada só a ver o que se passa.

Gosto de sonhar.

Gosto de rir.

Gosto de gostar.

Gosto de abraços.

Gosto de ser a mana mais nova.

Gosto quando corre tudo bem.

Não gosto de mentiras.

Não gosto de carne mal passada.

Não gosto de falar ao telefone.

Não gosto de pessoas demasiado vaidosas.

Não gosto de pessoas arrogantes.

Não gosto de atrasos.

Não gosto de comprar roupa. Não gosto de seguir a moda.

Não gosto das modas.

Não gosto de brincos nem de pulseiras.

Não gosto de ter de pensar em dinheiro.





segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Dia 5 de Outubro: Implantação da República



A Implantação da República Portuguesa foi o resultado de uma revolução organizada pelo Partido Republicano Português, iniciada no dia 2 e vitoriosa na madrugada do dia 5 de outubro de 1910, que destituiu a monarquia constitucional e implantou um regime republicano em Portugal.

V. Wikipédia


Desde o ano 2013, o dia 5 de outubro não é feriado em Portugal (v. aqui). A crise...



quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Qualquer lugar é bom para ler



Até uma banheira serve! Mas reparem que esta jovem não escolheu um livrinho de bolso, muito mais leve e cómodo de se manusear, mas um bom calhamaço (quer dizer, "un tocho"). A julgar pela cara dela, a leitura parece interessante.



A fotografia é do fotógrafo checo Vojtěch V. Sláma.




Vejo e velho




A única diferença entre as palavras portuguesas vejo (1ª pessoa do presente do verbo ver) e velho (substantivo) é o som do "j" /ʒ/e de "lh" /ʎ/. São palavras muito parecidas na apariência, mas muito, muito diferentes.



Eu vejo muitos filmes. Eu não vejo bem, preciso de pôr óculos. Etc.




Esse homem é velho.


O meu carro é velho.


O Carlos é mais velho do que tu.


A Joana é mais velha do que a Lídia




Muito cuidado: mais velho do que é como o espanhol mayor que quando falamos da idade das pessoas:

O meu irmão mais velho nasceu em Angola.

A minha irmã mais velha estuda no Porto.

O João e a Rita são mais velhos do que eu